segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Quem é você?

Quem é você que distrai os meus pensamentos
em momentos diversos, nas horas divertidas e
perdidas?

Quem é você que está se arriscando em turbulências 
e voando em um precipício?

Quem é você que retornou aos meus textos?
O que te tocou? Qual foi a identificação
ou discordância?

Você volta porque gosta de mim 
ou para descobrir se meus delírios 
estão menores?

Quem é você que demonstra tão bem 
a timidez ao receber um elogio e 
que parece tão forte ao mesmo tempo?

Quem é você que se empolga ao partilhar 
impressões sobre serumaninhos e suas
produções culturais?

Quem é você que tem o sorriso 
incrivelmente encantador,
mesmo sem eu nunca tê-lo visto.

Quem é você que me faz ter vontade de
pintar o mundo com a sua cor favorita,
mesmo eu não sabendo qual é?

Será que você sabe que não se pode 
anular a energia ao bater em um 
bloco de concreto e nem o medo do
incrível?

Sabe que caçar raros sonhos em declínio e
caminhar com o peito nu sem saber aonde ir 
é o perfeito movimento de entrega?

Será que você sabe que eu amo a 
intensidade dos extremos e que 
deslizo no imaginário?

Quem é você que me atrai e me dá paz?
Quem é você que está aqui e não está?
Quem é você que me faz esperar e insistir?

Quem é você que aflora os meus receios
mesmo sem pedir nada, mesmo sem falar nada?

Sem sair de mim. Sem se perder em mim.
Me diz
Quem é você?

domingo, 27 de março de 2016

Psicossomática

Seu coração é terreno hostil
Preso no cárcere da ilusão
Destituída de lógica 
Órfã desde o primeiro pôr-do-sol,
E bipolar as sextas-feiras.

Desperta-te do sono anárquico,
baluarte desfigurado e caótico.
Basta de apenas sobreviver: viva!

Dorsos

todos os corações do mundo
e nenhum me atiça
feito o teu

os sonhos, gostos
os dorsos nus
as peles à prova
nada é tão convidativo
como o teu eu

a noite longa e quente
com seus pecados inomináveis
a vida em ritos, práticas
e o pouco do mundo é meu desejo:
ser tão sua, sua
mil vezes meu sabor no teu seu
tão seu

Então?

o que você está esperando
para o teu fim do mundo desaguar
no meu colo?

o que está sonhando?
cobiçando?
fazer agora da minha pele a tua
do sentimento
um esconderijo
o que você está esperando
para sermos mar e praia?

luar e romance
a imensidão num instante
calor e desejo aceso

o que você está pensando
se a tua ideia
não sai de mim
nem por decreto?

o que você está pensando?
pensando
pensando
há terra à vista, 

onde quer que esteja
meu peito é ventre
e te carrega tão bem.

Culpado?

um dia assim
de mal-me-quer ou indiferença
a culpa é do amor: ele omite
ou esconde
o melhor do irrefutável
quem vai derrubar
a última lágrima?
ou dizer as palavras 
mais inspiradoras
- quem sabe em coracão estrangeiro?
a culpa é do amor
que dá de ombros e vai embora
- somos tão imperfeitas! 
dias de luto também têm o céu azul
prossigamos pela terra corrompida
com seus homens egoístas
e pequenas principesas de lama
enquanto o amor escorre
no licor das imperfeições, verso rude
amor que anoitece e faz-se alvorada
o cântico dos malditos
e o resto é um cigarro aceso
tragado pelos intervalos
da dor

Estranho Amor

e eu te amo
pelas ausências, o calor do corpo
que não sinto
meu amor pela ausência
é te procurar no silêncio, nos espaços vazios
nos poemas que não te declamei
amar-te é procurar pelas mensagens que não chegam
os encontros que não acontecem
a intimidade de mundo algum
nenhuma voz ao telefone
nenhum e-mail convidativo
torpedo nenhum!
a chama do meu amor é voluntária
e não te pede nada mas cobiça 
cobiça loucamente
desejo e lascívia em vão
por um sentimento permanente

sábado, 4 de julho de 2015

Epitáfio

"Tu foste as cores dos planetas,
dos pendurados no meu quarto
tu foste as luzes, foste feita
de todas cores dos planetas
tu foste os mundos, a luneta
que mostra os mundos no qual parto e
tu foste as cores dos planetas,
dos pendurados no meu quarto."





Tu foste a estrela, foste feita do brilho dos meus cometas.
Foste amarga, foste perfeita, foste luz de tormentas,
De tormentas escuras, de verdades mais negras. 
Tu foste a Estrela dos meus Planetas.
Foste eterna queimando,
Queimando tudo que me queima.
Tu foste a centelha, foste a pólvora dos meus cometas...
Do meu castelo de cartas, dos cometas que perpassam com tristeza as poucas falas.



P/ A.C.S

Paisagem pintada à mao.

Preciso ouvir a sua voz antes de dormir e o seu bom dia para começar o meu bem. Quero carregar suas dores e te dar um pouco de alívio. Aceito todas as suas falhas, perdoo os maus entendidos e respeitarei seu silêncio, mesmo quando não o entender. Poderemos ter brigas exageradas, mas não irei embora; nunca. Quero decorar cada detalhe da palma da sua mão e quero que crave na minha as marcas dos seus dedos entrelaçados aos meus. Farei-te chorar e vice-versa, mas te abraçarei e colherei todos os erros. Odiar-te-ei um dia e te amarei no outro, ou no mesmo, mas invadirei diariamente o seu corpo de sensações únicas. Levar-te-ei junto toda vez que eu partir e te farei oscilar entre a vida e a morte em segundos de amor. A minha alma te pertence desde sempre. O nosso encontro marcará o que somente os olhos registrarão e nesse dia, inesperadamente, anularei o resto do mundo para você. "Real serei eu. Somente e apenas eu". E serás Alfa e Ômega. E você descobrirá quando nosso olhos se encontrarem pela primeira vez, que eu não poderia ser mais de ninguém. E nem você.

P/ A.C.S

A te, Principessa mia!

Amor: cumplicidade; afeto; respeito; sinceridade; entregas; limpar a alma; dar-se; loucuras; dor; alegria; êxtase; palpitações; porto seguro. Parafraseando Shakespeare: "O amor é, simplesmente é!". E é, também, o motivo de estarmos aqui. O meu motivo; o que me faz levantar, dia após dia. Não há mais nada, apenas você. Nós. E, então, tudo melhora: é possível ver uma luz no fim do túnel, ainda que pareça inalcançável. E, mesmo que o seja, estarei aqui.
Entregas... De corpo e alma, entrego-me a você; pois na verdade, é só você que importa, é só você que eu vivo. Sua presença me mantém forte, segura. O que ainda me resta é seu; seu apenas. E, por isso, preciso ter-te sempre ao meu lado... Porque, quando se vai, leva contigo meu tubo de oxigênio; meu sopro de vida. Assim, estamos seguras, já que minha vida, meu ar, meu sentido estão com você, trancados à chave. Então, tens meu coração... que quando bate, é por ti, apenas. E é você, você que me faz sentir. Entende-me, conforta-me, possui-me. Entra em mim; devora. Arrepia.
Tudo, você é tudo. E eu,vil, simplória, que sou nada, sou tudo junto contigo. Inteira; tua; completa. Não duvide: tenho você na minha pele, na minha alma, e nada, nada será maior que isso.E desisto de tudo, de mim, por você, por nós.Porque no silêncio, você não reclama movimento; no barulho, faz-se maior que tudo; na dor, transporta-me e na felicidade, vamos aos extremos. Simplesmente, misturamo-nos e, nessa mistura, perco-me em você e, de alma nova, renasço. Você me completa, torna cheio o vazio...
Não há explicação, poesia ou desvario: só há você e eu. E em você me perco, para não voltar mais.


P/ A.C.S

Ruas

Em todas as ruas te encontro
Em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu jeito
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto, tão perto, tão real
que o meu ser se transfigura
e toca a sua própria essência
num corpo que já não é meu
num rio que desapareceu
onde um braço meu te procura

Em todas as ruas te encontro; 
Em todas as ruas te perco.

P/ A.C.S